quarta-feira, 8 de abril de 2020

Sobre uma fotografia de André Kertész

A cada alma, a sua revelação. Sophia de Mello Breyner Andresen tirou a mesma exata fotografia e o que saiu foi: "O silêncio esculpia os volumes, recortava as linhas, aprofundava os espaços. Tudo era plástico e vibrante, denso da própria realidade." (O Silêncio, de Histórias da Terra e do Mar)

segunda-feira, 6 de abril de 2020

Bandeira

"Na torre de Joseph adejava uma bandeira grande e bonita. Seguindo a direção do vento, ora se lançava com o corpo leve num movimento arrojado e orgulhoso, ora se encolhia recatada e lassa, ora se franzia e encostava coquete ao mastro, parecendo comprazer-se com os seus movimentos graciosos. E depois voltava a erguer-se alta e larga e grande de uma só vez, como uma conquistadora e protetora inabalável, para aos poucos cair sobre si própria num gesto terno e carinhoso. O azul esplêndido do céu."


("O Ajudante", de Robert Walser, trad. Isabel Castro Silva)

domingo, 5 de abril de 2020

"Ain't no sunshine"

É o título da minha crónica n'O Jogo. Fala de Bill Withers, claro, dos prazos da UEFA e da minha meia-maratona no pátio.

quinta-feira, 2 de abril de 2020

Recorto as palavras do primeiro-ministro italiano

"Estamos a escrever História, não um manual de Economia", disse ontem o primeiro-ministro de Itália, Giuseppe Conte, a um canal alemão.
Devíamos fazer cartazes, bandeiras, t-shirts com esta frase. Quando a pandemia se for, devíamos tomar as ruas com ela e mostrar aos nossos representantes políticos que a Europa tem de ser mais do que é se quer ser alguma coisa. Esta é uma frase de todos: a síntese perfeita da revolução europeia que nos falta fazer.

terça-feira, 31 de março de 2020

Para quem quiser cantar o "Aleluia" de Leonard Cohen em português:

Acorde de bradar aos céus
David tocava pra Deus
Mas tu não queres saber dessas coisas

Sem dó de mim, seguir prò sol
É lá que posso ser igual
A um rei compondo assim um aleluia

Aleluia, aleluia
Aleluia, aleluia

É forte a fé, faltava a prova
Viste-a nua, supernova
A beleza dela maior do que a lua 

Atou-te à televisão
Deitou-te a coroa ao chão
E dos lábios roubou-te um aleluia

Aleluia, aleluia
Aleluia, aleluia

Talvez já tenha estado aqui
Pisei este chão, o céu já vi
A minha solidão agora é tua

Tua bandeira é sem fim
O amor não é hino nenhum
É um pobre, feio, frio aleluia

Aleluia, aleluia
Aleluia, aleluia

Não sei se há um Deus no céu
Mas isto é o que o amor me deu
Tocar-te com uma palavra crua

Não é o grito noite dentro
De um mártir ou um santo
É um pobre, feio, frio aleluia

Aleluia, aleluia
Aleluia, aleluia

Dirás que em vão eu uso o nome
Mas se eu nem sei qual é o nome
E, se soubesse, qual é que era a tua?

Toda a palavra é um segredo
Não importa qual tens ouvido
O sagrado ou o outro aleluia 

Aleluia, aleluia
Aleluia, aleluia

Dei o melhor, que é bem pouco
Tímido, fiz-me de louco
E grito a verdade em plena rua

A vida ora é sim ou não
Mas, aos pés do Deus da Canção,
Não tenho mais pra dar que um aleluia 

Aleluia, aleluia
Aleluia, aleluia



("Aleluia", de Leonard Cohen — esta é a minha versão portuguesa)

domingo, 29 de março de 2020

O presente é o lugar onde moramos

É o título da minha crónica n'O Jogo. Fala de Eusébio, Michael Jordan, Maradona, McEnroe, de um futuro de maior justiça no futebol e de brincar ao desporto em casa.

sábado, 28 de março de 2020

Um poema de William Carlos Williams


PAISAGEM COM QUEDA DE ÍCARO


De acordo com Brueghel
quando Ícaro caiu 
era primavera 

um lavrador arava
os seus campos
todo o esplendor

do ano 
formigava ali
à

beira do mar
consigo mesmo
preocupado

suando ao sol
que derretia
a cera das asas

perto 
da costa
houve

uma pancada quase imperceptível 
era Ícaro
que se afogava




(trad. José Agostinho Baptista)

sexta-feira, 27 de março de 2020

Dia mundial de ficar em casa


"VLADIMIR: Quem é que lhe disse?
POZZO: Ele já fala comigo! Se isto continua assim daqui a nada somos velhos amigos."


("À espera de Godot", de Samuel Beckett, trad. José Maria Vieira Mendes)